Contos tradicionais portugueses

contos tradicionais portugueses

Quais são os contos populares portugueses?

1 Muitos destes contos aparecem na tradição continental, donde foram coligidos para os Contos Populares Portugueses, Lisboa, 1879; tais são: José Pequeno (n.° 21), Maria Subtil (n.° 42), Duquesa (n.° 60). O Filho da Burra (n.° 22), Branca Flor (n.° 14), O Afilhado de S. João (n.° 19), São Pedro (n.° 28).

Quais são os contos tradicionais?

Conto Tradicional A Velhinha e a Cabaça, também chamado O lobo, a velha e a cabaça ou Corre, corre cabacinha. A vendedora de cebolas. Conto tradicional português A vendedora de cebolas. O aprendiz de mago. O aprendiz de mago é um conto popular extraído de Contos tradicionais do Povo Português de Teófilo Braga.

Quais são as histórias tradicionais?

E querem saber uma curiosidade? Algumas das histórias tradicionais são semelhantes em várias partes do mundo embora com adaptações relacionadas com a época ou o país em questão. Conto tradicional A Galinha Ruiva, adaptado por António Torrado que dá enfase ao valor do esforço em contraste com a preguiça e aversão ao trabalho.

Qual a importância das tradições do Povo para a modernização da Sociedade Portuguesa?

As tradições do povo, o seu saber e a pedagogia popular seriam considerados para alicerçar a modernização da sociedade portuguesa e o espírito da sociedade nova centrados na sua cultura.

Quais são os contos tradicionais?

Conto Tradicional A Velhinha e a Cabaça, também chamado O lobo, a velha e a cabaça ou Corre, corre cabacinha. A vendedora de cebolas. Conto tradicional português A vendedora de cebolas. O aprendiz de mago. O aprendiz de mago é um conto popular extraído de Contos tradicionais do Povo Português de Teófilo Braga.

Como é a tradição dos contos?

Como ele próprio assinala, «em regra, pode considerar-se a tradição dos contos entre nós como assaz obliterada; falta-lhes vida, poesia, muitas feições significativas em versões doutros países tornaram-se aqui ininteligíveis e só pela comparação se explicam. A sua forma em geral é seca, monótona, enumerativa...» .

Qual é o valor dos contos que publicamos?

Como diz Adolfo Coelho (1847-1919) no prefácio da obra: «Os contos que publicamos não têm todos igual valor, mas oferecem todos mais ou menos interesse sob o ponto de vista tradicional.

Qual é a origem dos contos de Trancoso?

A mais antiga edição desses contos é de 1575, segundo Teófilo Braga, mostrando que foram escritos por ocasião da peste de 1569. E Trancoso terá usado a tradição popular como fonte».

Qual é a diferença entre histórias tradicionais e folclore?

Histórias tradicionais são histórias curtas ou médias, onde geralmente é ensinada uma lição ou moral para quem ouve. A palavra tradicional é aplicada precisamente porque essas histórias fazem parte do folclore de uma área específica. Todas as regiões do mundo têm histórias tradicionais relacionadas à sua cultura.

Qual a diferença entre histórias tradicionais e não ficção?

Histórias tradicionais, ou histórias sobre tradições, diferem tanto da ficção como da não ficção, em que a importância de transmitir a cosmovisão da história é geralmente entendida como transcendendo uma necessidade imediata de estabelecer sua categorização como imaginária ou factual.

Como as histórias e contos clássicos podem ser utilizadas?

“Histórias e contos clássicos podem ser utilizados e, muito comumente o são, como formas de transmissão de cultura e valores. A escolha das histórias e contos, geralmente, é feita atravessada pela cultura e valores de quem as conta”, explica a psicanalista Juliane Arrais.

Qual a importância das histórias clássicas e contos de fadas na infância?

Segundo a especialista, histórias clássicas e contos de fadas são difundidos desde a antiguidade e têm comprovada influência e relevância na infância. “A literatura registra histórias transmitidas oralmente de geração a geração e que, mesmo com toda a tecnologia da modernidade, mantêm seu espaço de destaque narrativo junto à infância.

Postagens relacionadas: